OLISIPO_HOME_©JOAOVASCO.jpg

Bem vindos à página do Grupo Vocal OLISIPO!

Trabalhamos desde 1988 na divulgação do património musical português, redescobrindo grandes obras do passado e também colaborando com compositores contemporâneos na criação de novos clássicos. O nosso repertório não se limita à música portuguesa e inclui também os grandes autores do madrigal seiscentista, a música medieval, obras coral-sinfónicas, standards de jazz e muito mais. Convidamo-vos a explorar esta página e a seguir-nos nas redes sociais para mais informações sobre o nosso passado e futuro.

Armando Possante, director artístico 

  • Facebook
  • Instagram
  • YouTube
  • Twitter

Segue-nos nas redes sociais!

PRÓXIMOS EVENTOS 

olisipo V7_revista.jpg

+

Depois de mais de um ano de preparação do projecto, entre o trabalho musical e o trabalho de produção do CD, temos muito orgulho em divulgar o lançamento do CD HERANÇA. Queremos partilhar convosco este momento, a entrada é livre sujeita à lotação de segurança da igreja. Contamos com a vossa presença!

5

DEZEMBRO

5/12 - 18:00

Lançamento do disco HERANÇA

Evento ONLINE - na página youtube do Olisipo

olisipo V7_revista.jpg

+

Um programa original de polifonia escrita na Escola de Música da Sé de Évora entre os séculos XVI e XIX. 

27

ABRIL

27/04 - 19:00 

Programa HERANÇA - Antena 2

Concertos Antena 2 - transmissão directa na rádio

olisipo V7_revista.jpg

+

Concerto integrado no Festival Música em SI Maior, promovido pela Câmara Municipal de Loures.

 

Concerto com um programa original de polifonia escrita na Escola de Música da Sé de Évora entre os séculos XVI e XIX. As obras apresentadas estão presentes no último álbum do Grupo Vocal Olisipo, HERANÇA, lançado em 2020.

15

MAIO

15/05 - 21:00

Programa HERANÇA

Igreja de Santo António, Moscavide (Loures)

NOTÍCIAS

GVO_2018-cópia.jpg

PROJECTOS

HERANÇA

A Música da Sé de Évora

Olissipo, Dia Europeu Música Antiga ,Ig

TE DEUM

EM LOUVOR DA PAZ

Eurico Carrapatoso

-
Estreia_TeDeum_EuricoCarrapatoso_IgSRoqu

DOCE IRMÃ DO SONO

Polifonia - Poesia

p1ci1uh3khtrfb2e1sh51jud14b4d.jpeg
78672187_2734018559990146_44725035143916

DISCOGRAFIA

“Chamada de atenção para um belíssimo disco de música portuguesa (…) Desta feita o Grupo Vocal Olisipo, fundado em 1998, sob a direcção de Armando Possante, afirma-se da melhor forma no quadro de uma discografia altamente competitiva. Correcção e elegância estilística, homogeneidade sonora e de articulação, a par de uma textura transparente e luminosa estão entre as qualidades interpretativas. Ainda fraseado muito bem “respirado”, perfazendo longos arcos que se encadeiam numa longa estrutura de grande consistência e entranhada espiritualidade. Assume particular relevância a divulgação dos Responsórios de Francisco Martins, música de uma beleza extraordinária a que os Olisipo parecem particularmente sensíveis, pois é aqui que atingem alguns dos seus melhores momentos (p.ex. Vinea mea electa). No estado de maturidade em que se encontra espera-se que o agrupamento Olisipo encontre um horizonte generoso para o alargamento, que se deseja urgente, da sua discografia.”

Vanda de Sá – Público (Julho 2005)

TESTEMUNHOS

“The Grupo Vocal Olisipo interpret the polyphony and chant of the early-modern period with a passion and intensity which engages the audience powerfully. Their performances are founded on scholarly excellence, imaginative programming, and impressive vocal technique.”

Owen Rees, maestro/musicólogo

“Tenho uma longa história de cumplicidade artística com o Olisipo. Em 1998 estreou o meu “Magnificat em talha dourada”. E estreou-o em S. Roque, envolto em mármores, lazulis e oiro reluzente. Auspicioso, este começo de uma frutífera relação artística e humana. É caso para dizer: “Era uma vez uma obra dilecta que foi cantada por um grupo dilecto.” E depois veio o “Horto sereníssimo”, assim íntimo na sua alquimia filigranada. E o Olisipo alçou seu capelo,  cantando-nos a Vulgata na língua refulgente do Padre Vieira. Horas felizes! E depois veio o “Stabat Mater”, assim flébil e outonal, por magoados fins de dia. O coro foi maravilhoso e o solista Armando foi possante. Estas relações são plenas. Tão plenas que doem.”

Eurico Carrapatoso, compositor

OLISIPO

NAS

REDES

SOCIAIS

instagram

facebook