.Diário de Viagens

“E eu era parte de toda a gente que partia”

(2a Ode - Álvaro de Campos)

Este é o início de uma grande viagem...

Para um europeu do século XVIII, as viagens eram etapas iniciáticas para os que ansiavam descobrir novos domínios interiores pelo encontro com o outro e com o exótico. Eram formas de eliminar fronteiras entre culturas e de intensificar a sensibilidade do homem. Mas nem todas as viagens são por opção, nem todas são aprazíveis e suaves como a aragem nocturna dos trópicos. Lembremo-nos da Peregrinação de Mendes Pinto. Há famílias inteiras ou indivíduos solitários que caminham sem fim à procura de oportunidades ou para salvar a própria vida. Estas peregrinações de fugitivos e de exilados também cabem nesta evocação das VIAGENS, não só pelo espaço geográfico, mas também pela memória e pela música que se interliga e transforma e nos dá esperança.

 

“Gozemos uma grande esperança indefinida e arrepiada, uma trémula sensação de futuro.” (Com as malas feitas e tudo a bordo - Álvaro de Campos)

Esta é a minha primeira mensagem e é o início de um percurso inesquecível!

Qual foi a primeira viagem de que te lembras? Conta-me... :)